Aula 3

Tema: Práticas corporais indígenas – jogos tradicionais
Duração: 50 min
Objetivos: Identificar a importância dos jogos tradicionais na formação do indivíduo nas sociedades ameríndias, conhecer as principais características dos Kalapalo, vivenciar jogos tradicionais da etnia.
Introdução
- Para iniciar, relembrar, resumidamente, a aula anterior e apresentar os objetivos da aula vigente. 
- Em seguida, conversar com os estudantes a respeito dos jogos tradicionais ameríndios. Mencionar a sua importância em nossa sociedade, as diferenças entre jogo, brinquedo e brincadeira, e como ele é um recurso formativo essencial dentro das culturas ameríndias, posto que, em muitos jogos, ocorre a representação dos papeis que as crianças irão exercer quando forem adultas.
- Após esse momento, como os jogos a serem desenvolvidos nessa aula são dos Kalapalo, apresentar informações, de forma sucinta, a respeito dessa etnia: localização, organização social, rituais e a importância das práticas corporais em sua cultura. Para subsidiar esse tópico, há algumas sugestões de leitura ao final do plano.
Desenvolvimento:
- O primeiro jogo a ser vivenciado será o “Emusi”, que é um tipo de pega pega, no qual para se pegar o fugitivo deverá ser falado a palavra “Emusi”, e então o fugitivo deverá ficar parado, até alguém tocar nele para que possa correr novamente.
- O segundo será o “Tsine”. Nesse jogo, os homens ficam deitados de bruços e com os braços entrelaçados. As mulheres deverão tentar fazê-los se virarem e se soltarem, fazendo cócegas e puxando pelos braços. Para a aula, os participantes deverão ser 6 homens e 6 mulheres.
Conclusão:
- Para encerrar, relembrar os conceitos trabalhados juntos aos alunos e como os jogos vivenciados são importantes dentro da cultura Kalapalo. Para subsidiar esse tópico, há algumas sugestões de leitura ao final do plano.
Ampliando o conhecimento:
GRANDO, Beleni Salete. Jogos e Culturas Indígenas: possibilidades para a educação intercultural na escola. Cuiabá-MT: EdUFMT, 2010. 172p .
____________; SOARES, Khelle Cristina Pires. CAÇA ÀS KRENTI: Criando corpo e infância entre os Akwê-Xerente. Crítica Educativa, v.2, p. 62-73, 2016.
HERRERO, Marina; FERNANDES, Ulysses. Jogos e brincadeiras do povo Kalapalo. São Paulo: SESC, 2006.
KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Cortez, São Paulo, 1996.
PIB SOCIOAMBIENTAL. Kalapalo. Disponível em: https://pib.socioambiental.org/pt/Povo:Kalapalo Acesso em: 30 de outubro de 2019.
*Sugestões para as atividades:
- No primeiro jogo, “Emusi”, deverá ser levado em conta as características dos alunos, para que, sendo necessário, faça-se modificações. Por exemplo, mais pegadores, os pegadores de mãos dadas, o espaço para o deslocamento ser maior ou menor, etc.
- No segundo jogo, o número de participantes nos grupos poderá variar de acordo com as possibilidades da turma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário